07 Nov 2019 Reportagem Ecosystems and Biodiversity

Ajudando países com suas metas de conservação da biodiversidade

Photo by Junelle Lawry/US National Park Service

Grande parte do trabalho do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) não dá manchete e envolve assuntos como análise de lacunas de pesquisa, avaliações, planos de ação estratégicos e capacitação para treinar governos no uso de certos bancos de dados, por exemplo.

Um desses projetos que se enquadra nessa categoria é o Support to eligible countries to produce their 6th National Report to the Convention on Biological Diversity (Apoio a países selecionados para produção de seu sexto relatório nacional para a Convenção sobre Diversidade Biológica, tradução livre).

"Parte do nosso trabalho pode parecer chato para quem está de fora, mas é essencial para mudar o status quo sobre as questões ambientais", diz Antony Kamau, oficial de programa do PNUMA que trabalha no projeto. "Ele também fornece dados vitais para o planejamento nacional e é o principal recurso para avaliações globais sobre a implementação da Convenção sobre Diversidade Biológica”.

image
Fruto da árvore Warri do Caribe. Foto de B. Noel

Assinada por 150 líderes do governo na Cúpula da Terra de 1992 no Rio, a Convenção sobre Diversidade Biológica é dedicada à promoção do desenvolvimento sustentável. Concebida como uma ferramenta prática para tornar os princípios da Agenda 21 uma realidade, a Convenção reconhece que a diversidade biológica não trata somente de plantas, animais e microrganismos e seus ecossistemas mas sobre pessoas e nossa necessidade de segurança alimentar, medicamentos, produtos frescos, ar e água, abrigo e um ambiente limpo e saudável para viver.

O projeto fornece apoio técnico e financeiro a países em desenvolvimento, pequenos estados insulares e países com economias em transição para informar sobre os progressos alcançados nos Objetivos de Biodiversidade de Aichi e seus Objetivos Nacionais de Biodiversidade associados, de acordo com o Artigo 26 da Convenção.

Além de facilitar o apoio financeiro do Global Environment Facility, o PNUMA colabora com outros parceiros para fornecer assistência técnica personalizada e desenvolver ferramentas que aprimoram a aquisição de dados cientificamente sólidos e de qualidade para melhorar os relatórios.

Essas ferramentas incluem diretrizes e um manual de recursos sobre relatórios, materiais de orientação para engajamento das partes interessadas e sobre gênero e plataformas específicas desenvolvidas para o uso de indicadores de biodiversidade e dados espaciais, como o Laboratório de Biodiversidade da ONU. Esse apoio também se estende a workshops de capacitação e seminários on-line para ajudar os países a usar melhor esses dados e ferramentas e interpretar os materiais de orientação da Convenção para melhorar os relatórios.

"Nos últimos anos, e como resultado desse apoio, a qualidade e o envio oportuno de relatórios nacionais melhoraram", diz Kamau.

image
Orangotango em Kalimantan, na Indonesia. Foto por Terry Allan/CIFOR

O que são os relatórios nacionais da Convenção sobre Diversidade Biológica?

Nos termos da Convenção para a Diversidade Biológica, cada país adota estratégias e planos de ação nacionais para a biodiversidade. Os países também assinam estratégias e estruturas globais (atualmente o Plano Estratégico para a Biodiversidade 2011-2020, que inclui os Objetivos de Biodiversidade de Aichi). A Convenção exige que os países forneçam relatórios nacionais a cada quatro anos para oferecer uma atualização sobre o progresso de seus planos nacionais e sua contribuição para as metas globais.

“Os sextos Relatórios Nacionais são particularmente importantes, pois fornecerão uma revisão final do Plano Estratégico para a Biodiversidade 2011-2020 e a consecução dos Objetivos de Biodiversidade de Aichi”, diz Michele Poletto, oficial de programa do PNUMA que trabalha no projeto. "Além disso, eles contribuirão para a discussão em andamento sobre o futuro Quadro Global de Biodiversidade pós-2020, que definirá o cenário para ações internacionais para a biodiversidade até 2050".

O PNUMA apoia os governos no cumprimento de seus compromissos sob as três convenções do Rio: a Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas, a Convenção sobre Diversidade Biológica e a Convenção das Nações Unidas para Combater a Desertificação.

image
Um workshop inicial em Cartum, Sudão, para o projeto financiado pelo Fundo Mundial para o Meio Ambiente. Foto de Antony Kamau / PNUMA

 

Financiado pelo Global Environment Facility, o projeto, que apoia 139 países, começou no final de 2017 e vai até meados de 2020. Os parceiros são o Secretariado da Convenção sobre Diversidade Biológica, o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento e o Centro de Monitoramento da Conservação Mundial (WCMC) do PNUMA.

Para mais informações, entre em contato com Antony Kamau: [email protected]ou Michele Poletto: [email protected]