13 Jan 2020

Construindo um movimento musical a partir do lixo

O músico, Shady Rabab, teve uma ideia: tirar as crianças das ruas fabricando instrumentos musicais com resíduos plásticos.

Doze meses depois de ganhar o prêmio Jovem Campeão da Terra para a África, em 2018, seu projeto já tornou-se realidade. Ele está trabalhando com crianças de origens vulneráveis ​​e comunidades marginais para criar belos instrumentos e formando uma comunidade que se reúne em torno da criação de novas melodias.

O projeto Garbage Music, de Rabab Luxor, usa arte e expressão criativa para combater a poluição plástica. Ele motiva os jovens a desenvolver seus conhecimentos e aumentar sua conscientização sobre as ameaçam ao meio ambiente e como isso afeta suas vidas.

Também fornece ferramentas e habilidades que permitem transformar resíduos em instrumentos musicais. A equipe do projeto cria oficinas e aulas para ajudar os jovens a dominar diferentes instrumentos, com o objetivo final de tocar música em conjunto, na Garbage Music Band.

img

“Doze meses atrás, o Garbage Music Project era apenas uma ideia em um papel. A jornada dos Jovens Campeões da Terra transformou essa ideia em realidade”, afirmou Rabab.

“Durante essa jornada, estive rodeado de especialistas que me ajudaram a desenvolver a ideia em um projeto, me deram apoio em todas as etapas, me apresentaram novas redes e ampliei meu conhecimento sobre os perigos que nosso planeta enfrenta. Mais importante, senti-me cercado de cuidados e saí com algumas amizades verdadeiras”.

“Olhando para trás e refletindo sobre os últimos 12 meses, posso dizer que estou verdadeiramente orgulhoso de quanto foi realizado em um período tão curto. Nossa equipe do projeto treinou mais de 36 meninas e meninos em Luxor, no Egito, sobre como transformar o lixo em instrumentos musicais na primeira fase do projeto”, acrescentou.

“Na segunda fase, a equipe ensinou essas crianças a fazer música e tocar esses instrumentos. Após meses de treinamento, criamos juntos uma peça musical que foi ainda transformada em vídeo. O vídeo foi lançado em setembro de 2019 e recebeu mais de meio milhão de visualizações globalmente em apenas uma semana”.

As meninas e meninos visados ​​pelo projeto não tiveram a oportunidade de ter uma educação de qualidade e não tinham formação musical ou artística. O projeto criou um dos poucos espaços de educação artística para jovens disponíveis em Luxor, representando uma oportunidade para eles aprenderem, compartilharem, experimentarem e se divertirem.

img

"Este projeto começou em grande parte como um experimento", explica Rabab. “Hoje, é reconhecido e comemorado local, nacional e até internacionalmente, pelas mensagens e realizações educacionais, artísticas e ambientais”.

“Os resultados do projeto foram além das nossas expectativas. As mensagens ambientais que o projeto carrega ressoaram com dezenas de milhares de pessoas em todo o mundo.

“As crianças que fizeram parte do projeto se engajaram, e se inspiram nesse trabalho. Outras crianças e seus pais estão se aproximando de nós pedindo para serem incluídos em fases futuras. Estamos recebendo convites para realizar treinamentos em escolas no Egito, na região do Oriente Médio e no Norte da África”.

Embora Rabab diga que sua equipe está impressionada e muito feliz com esse crescente interesse no projeto, atualmente eles estão tentando arrecadar fundos para garantir a sustentabilidade do projeto e que a equipe possa responder a essas demandas crescentes.

“O que foi realizado não seria possível sem o apoio genuíno e generoso da equipe do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), da CoalitionWILD e da Do-School. Estamos verdadeiramente honrados pela oportunidade de conhecê-los e trabalhar com eles. Eles são para nós como uma família”, disse Rabab.

A Diretora de Estilos de Vida Sustentáveis ​​do PNUMA, Garrette Clark, disse: “A quantidade que consumimos está aumentando exponencialmente para alguns de nós. No entanto, precisamos repensar a forma como atendemos às nossas necessidades e vivemos nossas aspirações de maneira menos impactante para o meio ambiente”.

"Precisamos considerar o que realmente precisamos e projetar e comprar produtos que durarão mais, serão usados ​​várias vezes e melhorarão o bem-estar de todos. Jovens empreendedores como Shady Rabab estão mostrando o caminho. Inspirado pelos recursos disponíveis, ele criou um novo modelo de negócios”.

Você tem o que é preciso para ser um Jovem Campeão da Terra? As inscrições serão abertas em janeiro. Ao enviar sua inscrição, você se torna parte da nossa comunidade de agentes de mudança - participe e faça parte da conversa sobre mudança ambiental.

O Prêmio Jovens Campeões da Terra, desenvolvido pela Covestro, é a iniciativa principal do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente para engajar os jovens nos desafios ambientais mais prementes do mundo.

 

 

Para imprensa, por favor entre em contato com:

Roberta Zandonai, Gerente de Comunicação Institucional, PNUMA, [email protected]