04 de fevereiro de 2020 Notícia Ecosystems and Biodiversity

PNUMA discute Marco Pós-2020 de biodiversidade com atores e governos locais

Entre os dias 4 e 6 de fevereiro, a Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente (SIMA), em parceria com as redes ICLEI América do Sul, Regions4 e a Iniciativa “Post 2020 Biodiversity Framework – EU Support” (apoio da União Europeia), promove a “BIO2020: Perspectivas Brasileiras para o Marco Pós-2020 de Biodiversidade”.

O encontro é uma preparação para a próxima COP15 da Convenção de Diversidade Biológica (CDB), que será realizada em outubro, na China, e, para isso, visa elaborar a Carta de São Paulo com os resultados compilados de suas discussões.

Todas as esferas de governo, com destaque para estados e municípios, representantes do setor público, privado e acadêmico, além de segmentos da sociedade civil, como juventudes, povos tradicionais, regiões metropolitanas e reservas da biosfera estão convidados.

A programação conta com sessões temáticas paralelas com o objetivo de formular contribuições sobre pontos-chave para o novo marco global pós 2020, da Convenção de Diversidade Biológica (CDB), que será definido nas próximas reuniões internacionais organizadas pela CDB e aprovado na COP 15.

“Recentemente foi divulgado o marco conceitual pós-2020 em sua primeira versão. Na COP também serão adotadas decisões sobre financiamento e sobre integração da natureza e dos serviços a pessoas em todos os aspectos da vida econômica, o que chamamos mainstreaming. Governos subnacionais e locais têm um papel essencial em todos esses novos marcos conceituais”, destaca Matheus Couto, do PNUMA-WCMC, que participará da mesa de abertura representando a CDB.

O BIO2020 está relacionada a eventos prévios como "The Nature of Cities" (Paris, França – junho/2019), "El Poder de las Metrópolis y su Rol em la Conservación de la Biodiversidad y los Servicios de sus Ecosistemas para la Naturaleza y las Personas" (Medelín, Colômbia – julho/2019) e "III Congreso de Áreas Protegidas de Latinoamérica y el Caribe" (Lima, Peru – outubro/2019).

Entre os temas que serão abordados estão a restauração de ecossistemas e a recuperação de vegetação nativa; o uso e conectividade do solo; produção e consumo sustentáveis e favoráveis à vida selvagem; economia circular e soluções baseadas na natureza, além de educação e consciência ambiental.

Carta de São Paulo

Diante da importância da participação do Brasil no cenário internacional de biodiversidade, este documento e seu processo de formulação têm como objetivo sugerir contribuições de apoio ao Secretariado da CDB em sua tarefa de alcançar um acordo global voltado à natureza e às pessoas, que possa ser reconhecido pelos 196 países signatários da Convenção.

A “Carta de São Paulo” tem o objetivo de sistematizar sugestões de entidades e personalidades brasileiras e daquelas com atuação em território brasileiro para o planejamento do Pós-2020 da CDB (Convenção sobre Diversidade Biológica).

Trata-se de uma "carta aberta" assinada pelos organizadores do evento BIO2020 que, destacando instrumentos como a criação e a gestão de Áreas Protegidas, e fazendo uso de mecanismos inovadores, como a aplicação imediata de compensação ambiental em ações de restauração ecológica,  pretende reunir componentes relacionados à conservação de biodiversidade, uso sustentável e à repartição de benefícios, divididos nas cinco principais temáticas que nortearão o evento e serão aprofundadas em suas sessões paralelas: recomposição da vegetação nativa e restauração ecológica; uso do solo e conectividade; produção e consumos sustentáveis; economia circular e soluções baseadas na natureza; e educação ambiental e sensibilização.

Dia Mundial do Meio Ambiente com foco em biodiversidade

Para o PNUMA, 2020 é um ano chave para a tomada de decisões ambientais. E como forma de impulsionar os esforços globais, a organização estabeleceu a biodiversidade como o tema das celebrações do Dia Mundial do Meio Ambiente deste ano.

A data, celebrada em 5 de junho, é a principal das Nações Unidas para promover a conscientização e a ação em nível mundial em prol do meio ambiente. Ao longo dos anos, tornou-se a maior plataforma global de sensibilização pública sobre o tema, celebrada por milhões de pessoas em mais de 100 países.

Para imprensa,

Roberta Zandonai, gerente de comunicação, [email protected]